quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Á quanto tenpo ...

Á quanto tempo, demasiado até olho para os teus olhos.
Faz demasiado tempo que não perco-me nos olhos mais simples que vi.
O que pensas quando olhas para mim?
Será que vês estes olhos cansados, estes olhos que fogem da fria realidade 
em buscado seu pequeno paraíso ?
Não. Certamente não verás isso.
Verás só o amor que uniu os teus olhos aos meus. 
Verás só o amor que uniu os teus olhos aos meus. 
Verás as caricias e as sublimes cores da nossa paixão em céus de estrelas carregados.
Á quanto tempo, demasiado até, não olho para os teus olhos.
Mas, caa vez que vês os meus, o que vês ?
Vês o amor que ainda brota da minha alma por ti ?
Vês os quadros que pintei na minha imaginação, um milhão de quadros só feitos
com a luz desses teus olhos.
Não os feches, peço-te.
Que os mantenhas abertos só para mim. Tal como dantes ...
Lembras-te ? 
Á quanto tempo, demasiado até,  não olho para os teus olhos.
Sinto-me só sem os teus olhos a olharem para os meus.
Estes olhos que serão sempre teus, agora fogem de mim.
Fogem para os teus, como duas chamas de uma fogueira.
Agora, lembro-me dos teus olhos, belos e simples, meigos e apaixonantes.
Só que agora, és tu que não vês os meus.
Á quanto tempo, demasiado até, já não olhas para os meus olhos.
Muito olhas e não encontras os olhos que viste e que te fizeram apaixonar-te.
Lembras-te ?
Fecha os olhos e e ouve-me.
Vês este coração ?
Olha nos seus olhos.
Abre agora os teus. 
Estou aqui.
Olhando
Estou aqui, bela e brilhante, doce e meiga, feliz e timida.
Agora que olhamos um para o outro, quero dizer apenas:
Amo-te.
Amo-te ver e ver os teus olhos nos meus.
Amo-te, vamos ver as estrelas.
Á quanto tempo, demasiado até, que amo olhar nos teus olhos e dizer: Amo-te Amor.
Á quanto tempo, que amo-te.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Semente do Universo

Escritor não sou
Poeta nunca serei
Sou apenas sonhador
E aos sonhos me juntei

Das estrelas nasci
Num dia de Luar
Todas elas disseram
"Este menino, o nosso amor vai espalhar"

A Lua minha confidente
Me sorriu e embalou
Nos meus sonhos, 
Minha amada se tornou

Da vida, sou amor
E do amor, dou vida
Faço da tristeza, alegria
E da alegria, paz infinita.

Muitas pessoas conheço.
Outras tantas conheci ...
Em todas elas, sementes deixei
Do amor de muitas vidas que cultivei

Para longe ou para perto
Eu sempre estou lá
Sejas nas palavras que escrevo
Seja na alegria que o sorriso sempre dá

Do coração das estrelas, nasci 
E no seu coração regressarei
Pois sou mais coração que corpo
Mais amor que paixão.

Eterno e sereno, brilhante e timido.
Serei assim para sempre
Corpo de homem
Coração das estrelas
E a semente da Luz do Universo ...

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Palavras para quê ?

Com que palavras posso dizer que amo-te ?
Digo-te num olhar, num jeito meio sem graça e meio convencional até.
Porque sei que não preciso de palavras para amar-te demais.
Sei que não queres a noite, nem as estrelas, nem o brilhar da Lua, mas, eu subo aos céus
e peço á Lua um raio da sua luz, peço ás estrelas um pouco do seu brilho, só para demonstrar
o que te amo.
Que palavras posso eu dizer quando te vejo, quando olhas para mim e fazes-me sentir que 
sou o homem com a mulher mais bela de toda a sua vida.
Sim, és bela, a mais bela.
Sou culpado de ter tido outras flores, sim, amei-as, não me envergonho de dizer.
Amei-as e amo-as por serem quem são e por me mostrarem que o amor é algo magnifico.
Amo-as, mas, amo-te a ti.
E elas, amam tanto como eu, mas, não como eu amo.
Confesso, amo demasiado, amo sem limites.
O verdadeiro amor esse é sempre uma procura que não tem fim, nem começo.
Desculpa se amo as estrelas, a Lua, o Sol, o Mar.
Simplesmente amo. E eu só posso dizer que amo-te, com todo o meu ser.
Amo a luz do sol com a qual eu consigo deslumbrar os teus olhos.
Amo o brilhar das estrelas, como o brilho que emanas dos teus olhos simples.
Amo o sabor dos teus lábios quando me beijas, como o mar que me abraça e me envolve.
Amo cada batida do teu coração, como amo o sabor do vento a passar-me pelo rosto.
Este amor é para sempre e para sempre quererei ser Amor.
Vejo-te quando chamo pelas estrelas.
Vejo quando vejo a Lua cheia no céu.
Eu não sou apenas um homem, também sou Amor.
Este sou eu, Homem e Amor.
Perdi já as palavras gastas pelo tempo, perdidas no esquecimento.
Mas, tenho sempre o Amor comigo.
Por isso, meu Doce, amo-te mesmo não sabendo o que mais dizer, o que mais fazer, o que mais dar para além deste sentimento puro infinito.
Se já sou estranho, mais estranho serei. Não me importo.
Amo e Amo-te. Mesmo que já não o diga mais, mesmo que já não saiba dque mais presentes 
oferecer.
Se alguém disser que escrever cartas de amor é coisa pouca, tem razão.
Porque palavras só têm os poetas e os escritores.
Eu não sou poeta , nem escritor.
Sou apenas um homem que ama.
Um homem que escreve palavras em papel e para a sua amada ler.
Docinho, estas palavras são escritas a tinta e escritas a céu, a estrelas, a luar, onde consegues ver tudo na tua vida.
Onde quer que estejas, terei perto de ti.
Podes já não gostar de mim, não querendo ver-me.
Estarei contigo, não como homem, como Amor.
Amor inebriante, amor explosivo e forte, amor carinhoso e terno.
Amor nas palavras, amor nos actos, amor nos pensamentos,
Se um dia partir, não chores.
Sorri e deixa que o Amor te guie pelo caminho.
Sei que não posso dar a noite e a Lua.
Elas são nossas, também.
Sei que não posso dar as estrelas.mas, elas também são nossas.
E neste momento, ouve as palavras:
Amo-te. Amo-te Muito . Amo-te Sempre.
Daqui ao infinito horizonte. Daqui das minhas palavras até aos meus pensamentos, Amo-te.
Dos meus olhos até aos teus, dos meus lábios até aos teus, amo-te ao infinito.
Ouve o silêncio enquanto lês as minhas palavras.
O meu amor está escondido aí.
Se ouvires bem, eu estou sussurando ao ouvido: Amo-te.
E depois de tudo escrito e tudo feito, nada mais resta.
Apenas e só sentir o teu beijo na minha boca e na minha alma.
E dizer uma última vez: Amo-te Docinho.
Vou pedir á Lua e ás estrelas para mimarem-te muito.
Até logo, amor. Vejo-te nos teus sonhos.
Eu sou o sonho do teu amor.

28/08/2012

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Olhos do silêncio

Olhos distantes no horizonte
Contemplam o momento
E permanecem em silêncio

Olhos penetrantes, marcantes
Que do tempo são constantes
No silêncio se tornam beleza distante

Alma colorida e profunda 
Espalhada em duas obras de arte
Que se disfarçam e escondem

Palavras não alcançam a beleza
Nem a música são tão bela
Quando o mistério está assim tão perto 
E nele se encerra a eternidade.

Silêncio cortante e agreste
Belissimo e desentendido
Mordaz, mas, irónico

E nesse silêncio, vislumbro esses olhos
Olhos brilhantes e discretos
Poderosos e imortais.

Muito vi ao longo do caminho
E muito olhos perscutei
Mas, todos diferentes e no entanto todos iguais

O que vi nos teus olhos, não direi a ninguém
Disse ao teu coração, mágico e poderoso.
E quando perguntares o que eu lhe disse, 
Dirá apenas:

" Olhos no horizonte
  Contemplam o momento
  E permanecem em silêncio ...
  Tal como a alma de quem falou tão simples palavras." 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Carta de amor

Olá amor.
Escrevo porque pensei em ti ao ouvir a nossa música.
Penso no teu corpo encostado ao meu enquanto a doce melodia invade o silêncio do nosso momento.
Falo com a Lua e com as estrelas e mostro-lhes o teu coração..
Elas depositam um pouco do seu brilho e do seu mistério. Depois, entrego o teu coração numa suave caricia
que te faço enquanto adormeces a mneu lado.
Adoro mexer no teu cabelo devagar e sentir a tua leveza. Como se fosses um belo anjo que se apaixonou por um coração. Um coração cheio de estrelas e de luar ...
Adormece junto ao meu peito enquanto o meu coração brilha e te aconchega nos teus sonhos.
Minha Princesa das Estrelas com o sorriso de mil sóis e o charme de uma lua cheia brilhante nos teus olhos ...
Olho para ti enqanto adormeces e entras nos teus sonhos. 
Que momento, confesso que adoro a cada dia.
Na doce melodia que nos embala em sonhos de amor, adormecemos, sem antes olhar para ti antes de partir
em tua busca nos meus sonhos.
Peço aos meus olhos para não se fecharem enquanto vejo-te a dormir docemente.
Fecho os olhos e parto para junto de ti, no nosso pedaço de sonho.
No nosso momento eterno e absoluto.
O silêncio preenche os nossos corações enquanto eles batem em unissono.
Sorris levemente e com esse sorriso nos meus olhos, viajo para os meus sonhos.
O que posso dizer quando as palavras são poucas para eu ter o teu corpo e a tua alma junto á minha ... 
Nos teus olhos, deixo-me adormecer.
No teu peito, deixo a minha cabeça repousar ao som do bater do teu coração.
Enquanto ouço a nossa música, peço ás estrelas e á Lua que te tragam para junto de mim.
Que me deixem beijar os teus lábios doces. 
Que te entreguem apenas uma caricia minha na tua face.
Peço ao vento que me leve para junto do teu coração. 
Ele leva então a melodia que nos encanta e nos torna um só ...
Amor, quero-te junto a mim, neste momento.
Num pensamento, num beijo, num abraço, num olhar ...
Não me importo desde que te sinta ao meu lado.
Toca-me com as tuas mãos sedosas no meu peito.
E sente o calor do meu ser profundoa a aquecer-te ...
Deixa que os meus beijos te toquem como pétalas que no silêncio do meu olhar, quero que sejam tudo o que sintas
no teu corpo e na tua alma ...
Amor, vou partir para os meus sonhos.
Vou deixar a nossa música tocar mais uma vez no silêncio do meu quarto.
Enquanto deixo-me embalar pelo som da guitarra e pela tua voz a dizer apenas, Amo-te.
Vou navegar por esses sonhos, esperando quando acordar, ver os teus olhos e o teu sorriso a olhar para mim.
Deixo-te com a Lua e as estrelas.
Elas que sempre te deram tudo o que tu és.
Filha da Lua com a magia do olhar das estrelas.
Deixa-me ir devagar embalado no teu olhar.
E ouvindo um sussuro longiquo dizendo:  Amo-te, meu principe das estrelas, filho de um raio de luar ... 

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Uma Noite de Luar ...

    Numa noite de Luar, olhei para as estrelas no céu.
    Deslumbrei-me com a sua simplicidade ...
    Fascinei-me com a sua beleza etérea.
    Os meus olhos nunca olharam tanta beleza em algo que estava e sempre estará para pintar um belo sonho.
    O meu coração apaixonou-se por elas.
    Dava-lhes os meus sonhos para elas tornarem-se ainda mais belas.
    Acordava e queria recordar os momentos que passava com elas.
    Tudo tentei para fazer justiça a elas.
    Nada consegui.
    Palavras não haviam para descrever.
    Tintas e cores não existiam para pintar um quadro dos meus sonhos.
    Triste, voltei a olhar para elas, enquanto elas olhavam para mim, confortando-me.
    Apaixonado, disse-lhes que queria ser uma delas.
    Disseram-me que não queriam que eu fosse, pois, não teriam ninguém tão bom e gentil para se apaixonarem.
    Mas disseram-me que um dia, o brilho delas estaria escondido nos olhos de alguém.
    Nunca acreditei nelas e sempre as amei.
    Um da, apareceste.
    Eu não liguei muito.
    Algo dentro de mim começou a sussurrar-me no ouvido.
    As estrelas riam-se de mim e eu apaixonava-me cada vez mais por elas.
    Até que uma disse-me baixinho:
    " Deixa-me entrar no teu coração que eu ajudarei-te a sonhar comigo. "
    Deixei-a entrar e tive sonhos belos.
    A vida foi tomando o seu curso.
    E ainda não tinha como descrever a minha paixão pelas estrelas e os sonhos que elas faziam só para mim.
    Olhei para ti um dia e disse olá.
    E um sussurro chegou-me ao ouvido ...
    Fomos conversando e ia descobrindo quem eras.
    Adorava cada momento que falavas.
    Até que olhei para os teus olhos e para o teu sorriso.
    Aí, o tempo parou ...
    O meu coração abriu-se e dele a estrela que tinha iluminou a tua cara.
    Os teus olhos brilhavam como diamantes e o teu sorriso irradiava
    o calor de uma noite de Verão com uma belissima Lua cheia.
    Percebi então, que tu és o brilho das estrelas.
    Quando voltei a mim, não tinha palavras para dizer.
    Tu és a essência das estrelas que se apaixonaram por mim.
    Contigo, quero sonhar e quero pintar os teus sonhos.
    Assim juntos, olharemos para as estrelas e ao olhar para ti, elas darão todo o amor que me querem dar.
    Os dois juntos, abraçados, olhando para o céu e num pequeno rasgo de puro sonho, beijo os teus lábios e tu beijas os meus, num momento em que as estrelas brilham perante o nosso eterno e doce sonho de amor.

    terça-feira, 18 de janeiro de 2011

    Palavras de um sonho ...

    Acordei com vontade de inspirar cada palavra que ouvia para respirar paz ..

    Inspirei cada palavra perdida no éter do tempo, misteriosa e sublime

    Inspirei cada sentimento de cada letra que compunha esse mistério ...

    Não podia parar, pois, significava que morreria sufocado ...

    Não parei de procurar incessantemente  palavras que fizessem as minhas memórias,
    as minhas vidas, as minhas personalidades, o meu corpo ...

    De tudo inspirei e de tudo respirei ...

    Finalmente quando as palvras escasseavam, sentia dentro de mim o silêncio
    que invadia o meu corpo ...

    E nesses momentos, apemas uma coisa fiz ...

    Gritei com todas as palavras que tinha respirado
    Gritei sem sem parar ...

    Ao ver o Mundo pairando de baixo, não tinha percebido porque ninguém me ouvia ...

    Finalmente, exausto e sem palavras, deixei o silêncio tomar conta de mim.

    E no silêncio, as pessoas sorriam, um sorriso que não tinha ainda visto.

    Naquela última réstea de palavras que me restava, perguntei o que estava a passar-se ...

    O silêncio não me respondeu ...

    No último e derradeiro momento de tornar-me silêncio, vi o coração de todas as pessoas.

    E alguma coisa me disse: " Estas são as palvras do teu sonho e do sonho de muitos que deste
    a quem esqueceu-se de ouvir ... "

    E naquele momento, acordei com um sorriso que desconhecia ...

    Naquele momento, então percebi que o silêncio tinha dado a resposta ...