segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Palavras escritas no mundo do silêncio
Sabedoria da ignorância que não ousa em manisfestar
Preso por lágrimas, sofrimento, dor e perca
Ajudam a manter o débil espirito vivo


Perdido nos sonhos e pesadlos constantes
Preso por entre dois seres que não param de lutar
Invisivel aos olhos de quem não quer ver
Esquecido por outros tantos


Navegando o oceano de prazer, loucura e dor
Encontrando uma ilha para poder afastar-se
O silêncio é pouco e incomoda
O ruído é muito e incomoda ainda mais


As palavras podem ser muito prefeitas
As emoções podem ser indomáveis
As acções podem ser erradas
Mas, os pensamentos são a verdade



No Labirinto, há que encontrar a saida
A liberdade espera por nós.
Quando sairemos ? Não sei...
Apenas sei que eu amo a liberdade...

sábado, 21 de novembro de 2009

A recordação permanece

O tempo passa
As pessoas desencontram-se
A realidade muda constantemente
E a recordação permanece

O tempo vagueia
As pessoas mudam
O que é hoje, amanhã já não é.
E a recordação permanece

O tempo viaja, ora devagar, ora depressa
As pessoas morrem mais um pouco
A realidade atroz, faz esquecer esse ritual
E, mesmo assim, a recordação permanece

A recordação permanece
Inviolável ao tempo e á realidade
No coração e na mente de uma pessoa que recorda
Com emoção, actos e pessoas de uma realidade distante ...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

1000 Máscaras

Encarno a vida de mil máscaras
Vejo tudo e sinto tudo o que elas sentem...
Encontro tudo o que um ser humano pode sentir... E muitas vezes não sentir...
Máscaras tão diferentes e tão iguais...
Máscaras tão complexas e tão simples
No entanto, não passam disso mesmo.
Um simples acessório em que as pessoas reflectem coisas simples.
Encarno a vida de mil máscaras
Encontro nelas, o que numa vida não chegava para ver
Penso nelas, de vez em quando, e como serão os seus pensamentos
Guardo dentro de mim, a vida de mil máscaras.
E dentro delas, está uma milhena de sensações ...
Apenas revelo ao tempo, a essência das mil vidas ocultas
O tempo não julga, nem pune, nem comete erros ...
Limita-se apenas a deixar a sua indelévil marca ...
Tal como o tempo, não julgo, não puno, não critico ...
Apenas deixo a minha indelévil marca nas mil vidas ocultas que oculto de todos e de ninguém.
São e serão apenas máscaras,
Mil máscaras que encarno,
Mil vidas ocultas que oculto de todos
Mil vidas a que o tempo só deixa mesmo ele passar.
Mil olhos mil mentes e mil almas, contidas em simples acessórios ...




Dr. Nobody
M.D.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

É

Amar é impossivel
Sonhar é morrer
Viver é solitário
Desistir é regra
Sobreviver é inacreditável
Felicidade é ilusão
Realidade é desilusão
Saber é desconhecer
Aprender é esquecer
Trabalhar é empobrecer
Mentira é verdade
Verdade é mentira
Coragem é medo
Esperança é infima
Honra é morte
Ódio é passageiro
Emoção é inexistência
E o fim é apenas o principio ...