segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Palavras Esquecidas

Palavras esquecidas
Pelo vento perdidas
e no mar escondidas

Vozes que calam sentimentos
Sentimentos profundos como o mar
Vozes caladas que guardam segredos
Segredos que fazem as vozes ter medo

Pensamentos descobertos
Nos actos, por vezes, dispersos
Um pouco irónicos, um pouco concretos
Demasiado irreais, demasiado discretos

Actos e conceitos de ironia perfeitos
Na longa via de caminhos imperfeitos
Puros como a água que corre nos rios
Mas, insanos nos sentidos dos pensamentos

Olhares cegos de pura felicidade
Recheados de pura magia
Nas mentes mais contemplativas
Nos corações mais enegrecidos

Ironia pura e perfeita
Feita com a mais pura das inocências
Vista por alguém de pura malicia
Escrita por ninguém de importância

Palavras, sentimentos, actos e conceitos esquecidos
Com a mais pura das puras verdades
Escritas por alguém imperfeito
Neste pobre livro que é a Realidade.