domingo, 27 de dezembro de 2009

Sonhos

Espelhos de desejo
Realidade de ilusão
Caos organizado
De emoções e transformação.

Agora e para todo o sempre
Para todo o sempre e agora
Ironia da vida perfeita
Sarcasmo da morte atenta

Poetas de poucas palavras
Pintores de nenhumas cores
Músicos do silêncio
Artista do ilógico

Tempo indefinido
Passagem eterna
De nada, faz-se nada
E de tudo, cria-se o nada

Retrato impessoal
Paisagem pessoal
Sentimentos racionais
Emoções ocasionais

Dor e sofrimento
De muitas mentes cuidadas
Alegria e prazer
De muitas mentes presentes

Como explicar algo
Inexplicável e vago
Contudo tão lógico
E tão presente ?

Cada um dirá o que sabe
E o que sabe não é suficiente
Para explicar algo tão maravilhoso
Como algo tão imprudente.