terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Espirito solitário

Espirito mais velho do que o tempo
Espirto que vagueia e deambula sem nada fazer

Espirito que olha para as estrelas, desejando estar com elas
Espirito que voa livre nos ares

Por ondes andas, tu que o coração não se mostra a ninguém
Para ondes vais e para onde queres ir ...

Parti em busca de um espirito que viaja com a noite e com o dia
Tão presente e tão distante de mim ...

Numa noite de lua cheia, enquanto meditava, encontrei-o sentado á minha
frente a olhar para o meu corpo.

Tocou-me no meu coração e lentamente abri os olhos ...
Na minha frente, o espirto esperava-me com um brilho muito fosco ...

Perguntei-lhe como se chamava, apenas abriu os olhos que brilhavam
como duas estrelas muito distantes ...

Perguntei-lhe porque estava ele comigo e do seu peito vi um luz mortiça
que desaparecia na escuridão que inundava o meu espaço.

E como se magia um luar branco imaculado, tornou a escuridão em luz
rodeada de estrelas que nos rodeavam.

E neste reino misterioso e simples, a sua voz soou aos meus ouvidos como
um sussurro de uma brisa suave...

" Sou o espirito que vagueia no teu coração, sou a voz de muitos amores
perdidos, sou a visão das estrelas que nascem sem brilho, sou a luz das estrelas
que brilham nos corações mais puros, sou a alma do luar que de noite guia os
que procuram o brilho da lua e das estrelas. "

Ai percebi quem era ele, não era mais do que um companheiro de viagem
que embarcou no meu coração, que procurava o conforto de um corpo.

Desci até ao meu espaço olhando outra vez para aquele corpo e estendi a minha mão.

Deu-me a mão e juntos viajamos ao sabor do encontro do tempo,
ajudando os que navegam entre a noite e o dia, dando a anjos a sua luz e a demónios
a sua escuridão.

Depois deste corpo perecer, voltará ser um só e voltará para ser o que sempre foi.

Um espirito solitário em busca da luz das estrelas e do luar
que guia até ao seu destino ...